Me constranja com teu amor Yeshua
Á
Átrio dos Gentios
Removendo a poeira secular
     
 
" Mas é grande ganho a piedade com contentamento.
Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar
dele"

                                                                                                        1 TI 6, 6 e 7
 
     
 
A falta de consciência sobre os problemas políticos ministeriais acarreta falsos debates
doutrinários, contaminando ou torcendo o verdadeiro conhecimento da Palavra de D’us. De um
lado, devido à manipulação direta da Palavra, de outro, pelo testemunho contraditório.

A Verdade e as verdades que dizemos.

A igreja tende a considerar apenas os assuntos espirituais e religiosos.

Sob este manto, com as sempre raras e abençoadas exceções, as disputas políticas são
encobertas. Esta “distração” se dá por dois erros geminados, o primeiro, um tanto cínico, por
entender que política não deva ser assunto da igreja, o segundo, para consubstanciar o primeiro,
valendo-se da ignorância, por entender como política, o debate político partidário.

Esta conveniência eclesiástica acaba escondendo os problemas políticos que existem deste
sempre na igreja e antes dela, criando tensões, sofrimentos, ressentimentos e, mais cedo ou mais
tarde, rompimentos.

Primeiro, devemos entender o que é política. Sem querer aprofundar, apenas para entendimento
deste texto, usaremos uma definição não comum, mas singela: política é repartição de poder, ou
seja, como o “bolo” é dividindo entre os “participantes da mesa”. Pode ser por consenso, ou dito
democrático, ou não, com nomes como teocracia, tirania, despotismo, etc.

É uma pretensão da igreja julgar a si mesma pura e santa. Homens tendem a querer ocupar um
espaço, há razões honestas ou não para isto, há explicações psicológicas e sociologias, que não
nos interessam aqui.

A questão não é tanto se é correto ou não fazer política na igreja, a questão é a falta de
consciência. A suposição infundada de que as exigências políticas não estão na pauta
eclesiástica.

Mashiach Yeshua, Bendito é Seu Nome, foi único em compreender sua situação frente aos
acontecimentos políticos de sua época e frente às necessidades do Reino. Conhecia bem os
limites entre estes dois campos de ação e transitava neles com plena sabedoria, deixando os
demais protagonistas em perplexidade constante.

Entre tantos bons exemplos, apenas para ilustrar:

“Respondeu Yeshua: ‘Eu lhes farei uma pergunta. Respondam-me, e eu lhes direi com que
autoridade estou fazendo estas coisas. O batismo de Yochanam era dos céus ou dos homens?
Digam-me!’ ”
                                                                                                               Mc 11, 29 e 30

A forma como Yeshua confronta aqueles que estavam preocupados com o “bolo” era expondo sua
ambição impar, sacrificar-se, bem como a destruição iminente do próprio bolo, ou seja, o Templo
e tudo o que significava para a Nação Eleita.

Esta geração pede um sinal, mas nenhum sinal será dado senão o  do Profeta Yonah. Lc 11, 29.

Perfeito! A subversão é clara.

Temos por certo, que nossa sobrevivência física ou emocional, depende de tomar a parte que “nos
cabe”. Poder, portanto, está associado com a vida, e assim, algumas passagens são
desconfortantes por serem contraditórias com o pensamento comum...

“Quem procurar preservar sua vida irá perdê-la, mas quem a perder achá-la-á”.

                                                                                        Lc 17, 33

Se não bastasse a dificuldade de lidar com nossa própria sobrevivência, ainda temos mais
problemas a serem resolvidos... Somos assediados por um coração nada confiável e somos
incapazes de emitir juízo, aniquilando de vez nossa capacidade de lidar com impasses.

“A boca fala o que transborda do coração”.

                                                                                      Lc 6, 45 frag.

Um corrupto tende a ver corrupção em tudo e em todos.  Uma pessoa que só vê seus interesses
tende a ver os demais como pessoas que farão tudo para obter vantagem.

Assim Mashiach foi analisado.

Portanto, quem poderá garantir sua retidão, se há razão na derrota e vergonha na vitória? Só o
tempo trará à luz o fato, e às vezes, será necessário muito tempo. E tempo é algo que
absolutamente não temos nem controlamos.

Não apenas os antagonistas de Yeshua, mas também seus seguidores, sim os “Santos Apóstolos”
não souberam lidar com a política. A discussão que travaram entre si é clara em seus intentos.

“Surgiu também a discussão entre eles, acerca de qual deles era considerado o maior”

                                                                                  Lc 22, 24

E isto depois de Mashiach Yeshua falar sobre o traidor e diante da iminente morte de Yeshua.

Estabeleceram, pois, uma disputa sem ao menos compreender o ensino de Mashiach. Tal
pretensão quando analisada por nós, que sabemos o que sucedeu a estes apóstolos, chega a ser
estranha e sem sentido... Quando deveria nos encher de espanto e “algum” temor.

E a reflexão é: até que ponto uma vitória política é uma vitória de D’us? Nossa cartilha (o recorte é
o protestantismo) é uma cartilha, do ponto de vista político, vencedora. Foi o braço de D’us?

Ora o Judaísmo está firme e forte. O catolicismo, a partir deste ponto de vista, tem mais
prerrogativa que os protestantes.

Todos, diante das contradições entre estas, estão certos?

Então uma vitória política não é necessariamente lastro para a fé.

É evidente que D’us, providencialmente, tem preservado elementos importantes da fé por meio de
homens que defenderam as causas da fé com, mais ou menos, interesses pessoais.

Assim, se um conceito é correto, a volição de sua defesa será maior e nunca será isenta de uma
realização pessoal.

Tal realização pessoal nunca irá garantir que todas as suas intenções são boas. Assim, os seres
humanos e, particularmente aqueles que ombrearam pela defesa de nossa fé, não garantiram nem
garantem para si correção, ou absolvição, em todos os seus atos, palavras e conceitos.

Isto vale para os Pais da Igreja e vale para a igreja da esquina. Lembrando que o herdeiro nem
sempre é o filho escolhido pelo pai, mas o mais hábil, o mais determinado, para não dizer, o mais
beligerante ou ainda o menos escrupuloso.

A realização pessoal é importante, sem dúvida, nesta realização estão os estímulos, a vontade e a
motivação para justificar a vida, para tocar o barco adiante. Pelo menos até um ponto em que o
servo realmente morra em Yeshua e viva como que “esquecido de si mesmo” (uma bela
expressão), conforme aqueles que vivenciaram os acontecimentos que precederam o martírio,
registrado em expressões como

“Viver é Mashiach e morrer é lucro”.

                                                                                           Fp 1, 21

Em qualquer situação, onde a defesa da fé não se faz acompanhar por este sacrifício (incluindo:
sujeição, perdas, humilhações, etc.) fica evidente uma defesa pessoal. Mesmo em casos
extremos, como a expulsão de apostatas há preservação (pessoal e coletiva) e é uma solução
política, mesmo que em parte.

Assim é importante que as coisas sejam tratadas como elas são, para o bem da fé. Uma
discussão ou uma diferença deve ser tratada como uma disputa política, o manto “espiritual”
precisa ser retirado para que a boa doutrina não seja nem torcida nem envergonhada...

São dois aspectos da negação de Mashiach, da Lei e dos Profetas.


Marcos Mingra
 
    
   
Todos os Direitos Reservados
É permitida a reprodução do conteúdo deste "site" desde que citada a fonte.
Pede-se, ainda, enviar informações sobre esta citação ao Átrio pelo e-mail: acesso.atrio@gmail.com.
  • cartier bracelet replica
  • cartier love bracelet replica
  • cartier love ring replica
  • cartier love bracelet replica
  • cartier love bracelet replica
  • christian louboutin outlet online
  • christian louboutin outlet online
  • christian louboutin replica
  • christian louboutin replica
  • christian louboutin outlet online
  • cartier bracelet replica
  • cartier bracelet replica
  • cartier bracelet replica
  • cartier bracelet replica
  • cartier bracelet replica